— O Projeto

A educação sempre teve um papel fundamental na evolução cultural de uma sociedade, e foi através dela que decidimos exercer o nosso pela cena eletrônica nacional.

Notando a carência de um local onde pessoas interessadas por música eletrônica, dos mais diferentes níveis de entendimento, pudessem ter livre acesso a conteúdos que elevem seus conhecimentos sobre o assunto, veio a idealização do projeto.

Educar, assim como a música, é uma arte. Qual seria então a maneira mais eficiente de não apenas transmitir a informação, mas fazer com que ela seja bem absorvida pelo público? Para encontrar esta resposta tivemos que nos aprofundar mais em questões relacionadas ao meio educacional, e foi aí que conhecemos a psicologia Cognitiva.

Evento de pré-lançamento do projeto – São Paulo, 15.04.17.

Define-se “Cognição” como uma função psicológica presente na aquisição do conhecimento que se dá através de processos como a percepção, a atenção, associação, memória, raciocínio e a imaginação.

A ciência perfeita para o que almejávamos, visto que a música é algo que não pode ser explicado somente em palavras, precisa ser compreendida através de todos os sentidos, principalmente aqueles que lidam com o nosso emocional.

E assim demos início ao projeto que, a princípio, foi designado para cumprir três metas:

– Estimular uma auto reflexão sobre qualidade musical, fornecendo ao público as ferramentas apropriadas para qualifica-los a compreender a música como forma de arte;

– Contribuir para o desenvolvimento da cena eletrônica nacional, destacando os profissionais que movimentam a cena e dando espaço a talentos espalhados ao redor do país;

– Resgatar as raízes culturais da e-music, as quais acreditamos estarem, de certa forma, sendo perdidas com o passar do tempo.

Ainda que o projeto tenha poucos anos de vida, nossa história na cena eletrônica se iniciou há muito tempo atrás.

Cobrindo eventos dentro e fora do país há quase uma década, sempre buscamos abordar o tema da maneira mais sensível possível. Ao longo destes anos pudemos desenvolver uma linguagem visual própria, onde os mais diversos tipos de sentimentos que a música proporciona poderiam ser narrados em forma de imagens.

Com o passar do tempo, e com a evolução das ferramentas digitais, fomos expandindo nossos serviços. A linguagem que inicialmente era feita somente através de fotografias agora também era retratada por meio de vídeos, sempre mantendo o nosso toque pessoal, em cada um deles.

Estes anos de vivência foram fundamentais, tanto para o nosso amadurecimento profissional quanto para uma maior compreensão de tudo que está relacionado a este meio – as pessoas, os bastidores, a música.

Marcas que passaram pelo Cognição

No decorrer destes anos houveram alguns momentos muito significativos para nós. Em 2013, durante sua primeira vinda ao Brasil, fomos convidados pelo duo francês Amine Edge & Dance para fazer uma sessão de fotos – o nosso primeiro press kit internacional.

Devido a repercussão do material na mídia não demorou muito para que surgisse um novo convite. Em 2014 foi o alemão Boris Brejcha passou pelas nossas lentes. E foi neste ensaio que saiu uma das fotos mais marcantes de nossa carreira, onde as duas personalidades do artista eram refletidas em uma única imagem.

Nos dois anos seguintes tivemos grande parte de nossas produções publicadas por veículos do meio musical. Durante este período também pudemos nos especializar em outras formas de suporte a festas e artistas, como produção de materiais gráficos, logomarcas e gestão de mídias sociais.

Em abril de 2017 tivemos a oportunidade de realizar uma mostra fotográfica na ABRA (Academia Brasileira de Arte). Intitulada de “Música Eletrônica em Imagens”, a mostra retratou a ampla diversidade de sentimentos que a música é capaz de proporcionar.

Ainda neste ano tivemos uma grata surpresa. Uma de nossas fotos, que mostrava a DJ ANNA de uma forma muito espontânea, foi escolhida para ser uma das capas da nova edição do consagrado livro “Todo DJ Já Sambou”, da jornalista Claudia Assef.

Em 2018, já com o projeto no ar, realizamos diversas ações em parceria com grandes marcas da cena eletrônica nacional, dentre elas a cobertura fotográfica para o DGTL São Paulo Festival, coberturas audiovisuais para o núcleo Gop Tun e uma collab com a Serialism São Paulo, festa que trouxe a alemã tINI.

Na metade do segundo semestre demos um passo adiante em nossos serviços audiovisuais e realizamos nossa primeira gravação de uma apresentação na íntegra, com o Live Act do artista L_cio na estreia da Time Warp Brasil – material este que foi transmitido mundialmente pelos canais da marca holandesa DanceTelevision, que posteriormente tornou-se nossa parceira.

Ao término de 2018 realizamos uma ação onde perguntávamos aos nossos seguidores suas considerações a respeito do primeiro ano de atividade do projeto – o que gostavam, o que não gostavam, o que devíamos melhorar. O feedback obtido (que pode ser visto aqui) foi muito além de nossas expectativas, nos motivando, ainda mais, a cumprirmos nosso papel de disseminar o conhecimento.

Esta aceitação do público e o apoio que recebemos de artistas e profissionais do meio é o combustível que nos guia em direção a um trabalho que realmente exerça um impacto positivo no crescimento da nossa cena.

Chris Liebing

Alemanha

ANNA

Brasil

Christian Smith

Suécia

Dave Van Dalen (DGTL)

Holanda

Victor Ruiz

Brasil

Noir

Dinamarca

tINI

Alemanha

Gui Boratto e Daniel Cozta

Brasil

Decidimos classificar o Cognição Eletrônica como um projeto pois, apesar dele ter um início, nunca terá um fim. Estaremos sempre nos reinventando e buscando novos objetivos, utilizando a criatividade como nossa principal ferramenta.

Um local criado para dar voz a todos, onde qualquer amante de música eletrônica possa não apenas falar, mas ser ouvido pela comunidade e por aqueles que produzem a cena.